segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Desafio Literário 2013


E eis que eu vou participar do Desafio Literário 2013! Uhuuuuuuuuuu!

Eu pensei em participar esse ano, mas sei lá por que acabei deixando pra lá. Daí esses dias vi que a Lulu, do Coruja em Teto de Zinco Quente, compartilhou o link, e resolvi que ia encarar, aproveitando que eu tenho um milhão de livros esperando para serem lidos.

Ok, não é um milhão exatamente, mas tem um monte de livros aqui esperando para serem degustados faz um bom tempo…

Funciona assim: um livro a ser lido e resenhado por mês, de acordo com os temas propostos no Desafio. Simples, né? Então, a coisa complica um bocadinho quando a gente acessa a lista dos temas. Mas vamos lá, se fosse pra ser simples não seria um desafio!

Janeiro – Tema Livre
Carta ao Pai – Franz Kafka


Juro pra vocês que pensei em pegar um dos [muitos] livros sobre tradução que eu tenho aqui, afinal, o tema é livre, só que lembrei que isso é um desafio literário, então obras técnicas não contam. Assim sendo, coloquei esse do Kafka que eu comprei em 2010 e ainda não tive a decência de pegar pra ler…

*Atualização em 24 de janeiro: troquei esse livro por Dragão Vermelho, do Thomas Harris. Já fazia um tempão que eu queria ler esse livro, e um amigo meu me emprestou. Então vai esse. De qualquer forma, eu ainda vou ler o do Kafka esse ano, e solto uma resenha aqui sobre ele assim que der.

Fevereiro – Livros que nos Façam Rir
O xangô de Baker Street – Jô Soares


Esses dias atrás eu li As Esganadas, do Jô, e quase morria de rir com as aventuras do detetive e do policial para desvendar o assassinato em série de moças, digamos, muito acima do peso ideal. Como eu já tinha decidido comprar os outros livros do Jô pra ler, e como na minha estante as únicas outras obras que me matam de rir é Macunaíma do Mário de Andrade e A queda dum anjo do Eça de Queiroz, ambos já lidos, eu fico com esse.

Março – Animais Protagonistas
A teia de Charlotte – E. B. White



De novo, o livro que eu tinha em mente com animais protagonistas era A revolução dos bichos, do George Orwell, mas eu já li, então não vale. Daí escolhi esse porque a sinopse dele me pareceu interessante: a história da amizade entre uma menina, um porquinho e uma aranha. Então será esse. =)

Abril – Uma ou mais das quatro estações no título
Sonho de uma noite de verão – Shakespeare



Porque eu tenho a cara de pau de nunca ter lido uma única obra do Shakespeare até hoje. Já assisti as adaptações pro cinema de Hamlet e Romeu e Julieta, mas ler que é bom, nada. E eu achei a sinopse muito parecida com a Quadrilha do Drummond…

Maio – Livros citados em Filmes
O amor nos tempos do cólera – Gabriel García Márquez



Eu acho que nunca comentei por aqui, mas eu ADORO García Márquez. Tenho um livro, presenteado por um querido amigo, o dr. Sergio, chamado Como contar um conto, que é a transcrição de uma oficina de literatura que ele ministrou (só não vou lembrar quando, agora, porque o livro ainda está na casa da minha mãe). E fiquei arrasada quando soube que ele não vai mais escrever por conta de uma demência senil…

Enfim, escolhi esse livro porque comprei-o faz pouco tempo, e ele é citado no filme Escrito nas Estrelas. ;)

Junho – Romance Psicológico
São Bernardo – Graciliano Ramos



Eu pensei imediatamente na Clarice Lispector quando vi qual era o tema de Junho, mas desisti quando lembrei de uma coisa. Junho é a época de final de semestre na faculdade, e eu vou ter alguns trabalhos pra escrever EM ALEMÃO, além da monografia e do relatório final da minha Iniciação Científica. Ou seja: nada MUITO denso, bitte. Não que Graciliano não seja denso – até hoje eu não consigo ler um determinado capítulo de Vidas Secas sem me acabar de chorar –, mas acho que vai me bagunçar menos do que ler, por exemplo, Perto do Coração Selvagem, que é um livro que eu comecei a ler e não consegui terminar.

Julho – Cor ou cores no título
50 shades of Grey – E. L. James



Não me matem ainda – eu explico.

Minha soulsister Luciana leu esse livro e adorou, e eu mantive certa resistência a ler esse livro por dois motivos. Primeiro, a história original é uma fanfic de Crepúsculo, e embora eu tenha lido os livros e visto os filmes, eu não consigo mais achar o enredo de Crepúsculo uma boa coisa. E fanfic, se não for bem escrita, não dá pra engolir. Segundo, o tema é sadomasoquismo, e é um tema espinhoso por si só, nada fácil de se desenvolver de modo satisfatório. Então eu previa um surto de "puta merda que livro ruim" caso eu viesse a lê-lo. Mas a Lu estava tão convicta de que eu ia gostar da história que me deu de presente a versão em inglês, e acabamos fazendo uma aposta: se eu gostar, ela ganha um CD do Depeche Mode; se eu não gostar, eu ganho um CD do Depeche Mode.

Bom, aí está – eu vou lê-lo para o desafio, e daí vocês ficarão sabendo se eu ganhei ou perdi um CD…

Agosto – Vingança
Doce vingança – Nora Roberts



Porque eu sempre tive curiosidade de ler um livro da Nora Roberts, então esse é um bom começo, concordam?

Setembro – Autores Portugueses Contemporâneos
Ensaio sobre a cegueira – José Saramago



O homem partiu e eu nunca li nada dele, pode isso? Que vergonha pra uma estudante de Letras, não? =P

Eu comprei Ensaio sobre a cegueira quase ao mesmo tempo que o livro do García Márquez, então ele entrou pra lista do desafio porque se eu bem me conheço, eu só ia ler esse livro depois que eu me formasse…

Outubro – Histórias de Superação
O escafandro e a borboleta – Jean-Dominique Bauby



O que me chamou a atenção nesse livro foi o título. Um escafandro e uma borboleta? Interessante essa escolha lexical. Daí fui ver do que se tratava: Bauby sofreu um acidente vascular encefálico que o deixou numa condição chamada Síndrome do Encarceramento. Ele conta como era sua vida antes e depois do acidente, e escreveu o livro com o auxílio de um software que possibilitou que ele formasse palavras inteiras apenas piscando.

Prevejo a compra de várias caixas de lenços de papel junto com o livro, mas vamos lá…

Novembro – Livros que foram banidos
O amante de Lady Chatterley – D. H. Lawrence



Tinha pensado em Moll Flanders, do Daniel Defoe, mas eu já o li. Esse do D. H. Lawrence é um livro que eu tenho e que se não me engano não consegui terminar de ler. Ele foi publicado às escondidas em Florença, e não saiu no Reino Unido antes de 1960, bastante modificado, porque o conteúdo é, digamos, explícito.

Eu coloquei ele aqui no desafio, mas não tenho certeza de que o lerei mesmo, porque ele é meio grandinho e Novembro será um mês tenso e ao mesmo tempo especial pra mim: é final de semestre na faculdade, e se TUDO der certo, EU ME FORMO! Uhuuuuuuuuuuuuu!

Então como eu sei que vão aparecer trabalhos pra escrever em alemão DE NOVO, eu vou manter esse título aqui, mas pode ser que mude.

Dezembro – Natal
Cartas do Pai Natal – J. R. R. Tolkien



Tudo culpa da Lulu, do Coruja. Ela leu esse livro em 2010 e escreveu sobre ele aqui. Daí fiquei curiosa. A única obra que eu conheço do Tolkien é O senhor dos anéis, e esse aqui despertou minha atenção porque são… cartas! Eu AMO livros de cartas! :D

Pronto, a lista está feita e o desafio está lançado! Quem vem comigo? :D

10 comentários :

  1. Tô topando o desafio! Eu amo ler, estou precisando comprar uma nova estante, a minha não cabe mais nada! Já li Cinquenta Tons e como não consigo deixar de ler uma série, estou enrolando o Cinquenta tons mais escuros! Quando você começar a ler, nós vamos conversar! kkkkk
    E vou fazer uma listinha para ler tb!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ueba! Vi sua lista no Facebook, achei legaaaaaaaaaaal! :D

      Depois trocamos figurinhas sobre o 50 shades!

      Excluir
  2. Oi! Tb estou no Desafio e passei pra ver sua listinha! Abraço!
    http://caixinhadadea.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, bem-vinda! :D

      Já já retribuo a visita ;)

      Excluir
  3. Oi, Elise!
    Bacana sua lista. Já li alguns e gostei muito. Aliás, não sei se você já assistiu, mas as adaptações cinematográficas de Ensaio Sobre a Cegueira e O Escafandro e a Borboleta são muito boas.
    Bom desafio!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Michelle!

      Eu não vi essas adaptações, não... da lista toda, eu assisti O amor nos tempos do cólera e uns pedaços d'O xangô de Baker Street. Mas acho que vou inclui-los na lista de filmes a serem assistidos.

      Obrigada pela visita e pelos votos! =)

      Excluir
  4. Correção mínima: O Bauby não usou um software. Foi a fonoaudióloga dele que fez o favor de ajudá-lo o.ob Ela falava as letras do alfabeto francês, das mais comuns pras menos comuns, e quando chegava na letra que ele queria, ele piscava o olho. E assim ia, letra por letra, até terminar a palavra...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você sempre salva minhas sinapses bêbadas, sabia? <3

      Excluir
  5. Tu tem a cara de pau de dizer que não quer ler 50 Shades pq é sobre sadomasoquismo, mas me elogia O amante de Lady Chatterley?? Mas só dando um gato morto na testa! E eu gostei do 50 justamente pq o motivo do SM ficou bem explicado, do ponto de vista psicológico. u,u Mas eu tenho que concordar com a Laine, não leia a continuação. A gente te conta como termina, embora já se possa adivinhar desde o início... o que não quer dizer que é ruim! Já encerrando, eu tô numa fase "vício em Shakespeare" e peguei todos os que eu pude na biblioteca da PUC. Terminei Macbeth e tô terminando Hamlet. É genial! Lindo! E eu não gostei que não tem nenhum livro do Lestat na tua lista, mas tirando isso, parece ótima! Vamos agora acompanhar as resenhas... ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, calma, Lu! Eu disse que o tema era espinhoso e podia dar errado se não fosse bem desenvolvido, não que eu não queria ler por causa do assunto em si... mas eu vou ler, pode largar esse gato morto...

      Eu nunca li NADA do Shakespeare, vergonha TOTAL. Depois que eu resenhar o livro de Abril, a gente pode trocar figurinhas, né? =)

      E quanto ao Lestat... eu já te disse que desisti de Entrevista com o Vampiro no meio, né? Quem sabe um dia eu me armo de paciência pra ler algo da Anne Rice... ei... sai pra lá com esse facão, gaudéria! =P

      Excluir