quarta-feira, 3 de abril de 2013

Just passing by…

No meio do furacão que virou minha vida ultimamente eu tenho saudade de escrever no blog. Não há nada em particular que eu queira escrever – apesar de estar pelo menos dois meses atrasada no Desafio Literário, meh –, só sinto falta de vir aqui e começar a escrever e escrever, como se eu fosse um desenhista rascunhando porque é legal.

Ontem de madrugada me deu essa saudade enquanto eu estava às voltas com a finalização de um trampo. Daí eu escrevi em um papel “das war ein Befehl!” , “In Extremo” e “befehlen na letra de Mein rasend Herz” – coincidentemente, é essa música que eu estou ouvindo agora.

Encadeamento maluco de ideias: ouvi befehlen na letra da música e lembrei de como eu me racho de rir toda vez que vejo um daqueles vídeos-paródia que fazem de uma determinada cena do filme A queda – as últimas horas de Hitler. Pra vocês saberem do que eu estou falando, aí vai uma dessas paródias:



Amigos palmeirenses, desculpem-me, mas eu não resisti...

Eu morro de rir principalmente na cena em que Hitler se irrita de vez e grita “das war ein Befehl!". “Befehl”, em português, significa “ordem”, e ele está se referindo ao fracasso de uma delas. Mas eu me mordo de rir porque acho engraçadíssimo o jeito com que o ator fala isso…

Sobre a banda, eu estou apaixonada pelo folk metal do In Extremo. Quem me mostrou foi a Allana, e desde que eu ouvi Mein rasend Herz e Vollmond eu não consigo parar de ouvir todas as outras. Aliás, quem me acompanha pelo Twitter sabe que vira e mexe eu me derreto com Vollmond… tem HARPA e GAITA DE FOLE entre os instrumentos tocados pela banda, dá pra não gostar de uma coisa dessas?

Aliás, a cara que o harpista faz enquanto executa o solo do começo de Vollmond no DVD Raue Spree é outra coisa engraçadíssima…



Ich bin nach deiner Liebe so krank,
die sich an meinem Blut betrank!

Eu ainda solto uma tradução deles aqui, mas provavelmente vai ser de uma das Ansage que Das Letzte Einhorn conta no álbum Die Verrückten sind in der Stadt. Aliás, olhem o nome desse álbum, “Os malucos estão na cidade”. Tem como não achar genial? :D

Agora eu preciso correr pra aula de Weimarer Klassik… oh céus, oh vida, oh azar…

Marcadores: , ,

6 Comentários:

Às 3 de abril de 2013 18:59 , Anonymous Laine K disse...

Senti falta de seus post! Genial como sempre!

 
Às 4 de abril de 2013 12:04 , Blogger Unknown disse...

Essas paródias do Hitler são geniais!

 
Às 5 de setembro de 2013 07:00 , Blogger Alan Flamer disse...

Como um desenhista rascunhando em um papel... Faz tempo que não faço isso também. ^_^

 
Às 16 de setembro de 2014 16:30 , Blogger Elise disse...

De novo, mais de um ano depois... Laine, acho que tou sentindo falta de escrever. Beijos, querida!

 
Às 16 de setembro de 2014 16:31 , Blogger Elise disse...

O ator que fez o Hitler, Lu, não gosta muito dessas paródias, mas ele reconhece a genialidade de quem as faz. São engraçadíssimas, mesmo! :D

 
Às 16 de setembro de 2014 16:31 , Blogger Elise disse...

Agora não faz não. ^_^

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial