domingo, 9 de junho de 2013

Rapidinha: sobre computadores e internet, ou “isso é um buraco negro sugando o meu tempo”

Passeando no Facebook enquanto não abria o arquivo do trampo que eu tenho aqui, deparei-me com uma imagem bem interessante:

20 anos atrás

Pra mim essa sequência não chega a ser de 20 anos, mesmo porque eu tenho 28. Mas 10 anos serve.

Fiquei pensando aqui o quanto eu me irrito com a minha falta de tempo, e quanto tempo eu perco na frente do computador quando estou trabalhando ou estudando pelo simples fato de que agora ele está conectado numa rede de computadores chamada INTERNET. Só hoje eu baixei música, vi vídeos, estou batendo papo com amigos, li umas notícias e acabei vindo parar aqui no Litt.

Agora, quantas dessas coisas dá pra identificar ali em cima?

Eu não nego, e nunca vou negar a importância da internet. Eu não sou nem louca de dizer que ela só serve pra atrapalhar a minha vida. Mas é o seguinte: ficar na frente do computador o tempo todo parece interessante, legal, mas chega uma hora que a quantidade de coisas que não foram feitas enquanto se estava na frente do computador começa a ficar grande demais.

Eu não leio mais tantos livros quanto eu lia há 10 anos. A quantidade de músicas que eu ouço é muito, mas MUITO maior, mas acabo nem prestando atenção no que eu ouço porque são tantas… Eu não escrevo mais como eu escrevia há 10 anos. Eu converso com mais amigos agora do que há 10 anos, mas eu os vejo com a mesma frequência? Não.

Internet VICIA. E eu estou francamente VICIADA nessa tranqueira… Alguém aí pode me ajudar a diminuir esse vício, já que não dá pra ficar completamente sem internet no século XXI?

Marcadores: ,

4 Comentários:

Às 10 de junho de 2013 01:47 , Anonymous Dany disse...

A graça de entrar aqui é que sempre acesso o blog quando você posta algo que me leva a reflexão. O mesmo digo para as nossas parafernálias eletrônicas de todo hora, a.k.a. celulares. Ultimamente, tenho mudado de atitudes, ainda que elas sejam pequenas, sejam elas trocar o maldito mp3 ( sim, maldito, pois a minha audição estava sendo comprometida) por um livro ou respirar fundo, admirar o teto do meu quarto em vez de olhar pra algum aplicativo no celular. É realmente muito difícil larga a nossa amada web e todas essas coisas extramente sedutoras, mas, com um pouco de controle e trocas, creio que o caminho se torne menos árduo.
Boa sorte e parabéns pelo blog, Elise.

 
Às 25 de dezembro de 2013 21:46 , Blogger Alan Flamer disse...

Enquanto isso eu acabo me lembrando das aulas de design, digital e como nós somos ensinados e incentivados a usar esses dispositivos a fim de integrar cada vez mais o usuário ao mundo digital. A intensão primária é mesmo que vc se perca, e a secundária... tornar tais dispositivos uma extensão do seu próprio corpo e, em consequência, do seu próprio eu.

 
Às 16 de setembro de 2014 16:26 , Blogger Elise disse...

Dany, obrigada pela visita!
Eu não consigo largar a internet (mas olha o relaxo, tou respondendo esse comentário mais de um ano depois =/), eu consegui me livrar de alguns viciozinhos, tipo jogos, mas não largo essa mardita nem a pau. Acho que preciso de algum tipo de condicionamento mental pra tentar me acertar nisso...
Abraços!

 
Às 16 de setembro de 2014 16:27 , Blogger Elise disse...

Tá vendo, é tudo culpa sua, nem adianta disfarçar e puxar a touca pra baixo. Se eu não largo a internet é por causa de pessoas como vc, senhor Alan Flamer. =P

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial