sábado, 5 de novembro de 2016

Eu já falei de filmes com vocês?

Eu falo de música, eu falo de livro, eu falo de coisas malucas que eu faço, mas eu já falei de filmes?

Acho que uma vez eu comentei rapidinho sobre Minha amada imortal, mas como gancho pra falar das cartas do Beethoven. Também lembro de ter falado breeeevemente sobre O império do Sol mas como ponte pra discorrer sobre o autor e sobre Joy Division. Mas não passou disso…

Então resolvi falar de filmes. Notem que eu não sou uma especialista em filmes, eu não chego nem a ser uma cinéfila. Nunca vou chegar no nível do Rob Gordon, por exemplo – ele manja MUITO de cinema. Mas às vezes me dá vontade, então o Litt vai ter essa “coluna” também.

(Daí vocês perguntam “mas Elise, e os posts de música que você tá devendo?”. Sim, tô devendo. Tem um planejamento pra eles no meu bullet journal – eu quero falar disso também hahahaha socorro – e eu só preciso de tempo pra escrever. E ultimamente muito tempo tem sido pouco dinheiro, literalmente. Vida de freela não é mole, não…)

O próximo post dessa série vai falar de um filme. Eu ia escrever aqui nesse post direto – porque já tô escrevendo sobre ele – mas já vi que vai ficar ENORME. E também porque o fato de o filme pertencer a uma franquia que completou 50 anos esse ano faz com que ele mereça um post inteiro pra ele…

Nenhum comentário :

Postar um comentário