terça-feira, 8 de agosto de 2017

Quando a lista de livros não funciona

Eu li uma porção de livros esse ano.

Uma das coisas legais de se ter um smartphone é que ele pode virar e-reader. Sem ele eu não teria finalmente lido Senhor dos Anéis e Harry Potter. Se bem me lembro, levei uma semana pra passar sete anos em Hogwarts. Na Terra-Média eu passei um pouco mais de tempo, porque só pra sair das garras do Tom Bombadil eu levei uns bons cinco dias. Depois que eu cheguei em Valfenda foi que o negócio andou.

Depois desses dois eu me aventurei por mais alguns mundos. Fui pra um futuro distante (ou nem tanto) com umas realidades malucas e pensei ter ido parar dentro da Matrix, daí me enfiei entre Londres e México, em seguida fui pra uma Tóquio que tinha duas luas. Sem contar as vezes que eu voltei pra Inglaterra do entre guerras (se bem que eu nunca sei em que ponto do século aquele belga se encontra, mas ok. Não importa muito).

Mas agora eu empaquei num mundo esquisito. Só tem um deserto e um cara armado. E isso me lembra que eu também empaquei dentro de um antiquário. E ainda tem um hospício, o Canadá, a Londres dos anos 1960 e uma passadinha no futuro daquele futuro distante (ou nem tanto).

E é por isso que eu não posso ter uma meta de leitura.

2 comentários :

  1. Você também tá meio empacada entre Curitiba e São Paulo, no final do século XXI xD

    ResponderExcluir